Professor Pedro Dominguinhos, Presidente do Politécnico de Setúbal e do CCISP

Professor Pedro Dominguinhos será reconduzido no cargo amanhã, dia 3 de junho, numa cerimónia que irá ter lugar no Campus do Politécnico de Setúbal.

O reforço da qualificação da população portuguesa por parte do ensino politécnico e do seu posicionamento na criação de valor para os territórios e as populações onde estão inseridos, são as prioridades estratégicas do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos (CCISP) para o próximo biénio, sob a sua presidência.

Além da formação tradicional ao nível das licenciaturas e mestrados, que têm vindo a consolidar-se, os últimos anos mostraram a capacidade do ensino politécnico em desenvolver novas formações, de que os cursos técnicos superiores profissionais são o exemplo mais visível, fazendo com que mais de 25 mil jovens pudessem aceder ao ensino superior, em estreita articulação com o tecido empresarial.

Também o regime de acesso às licenciaturas, recentemente aprovado, destinado a estes públicos vem criar maior equidade. O ensino politécnico responde a este novo desafio criando vagas para o novo regime, na larga maioria das áreas científicas e de uma forma articulada, criando consórcios regionais para a realização de exames por parte dos estudantes. Ao mesmo tempo, estão a ser criadas as condições pedagógicas adequadas para a integração destes estudantes nos cursos da sua escolha.

No que diz respeito à formação pós-graduada, e além das inúmeras oportunidades no âmbito dos mestrados profissionais de 60 ECTS em estreita articulação com os empregadores, estão a ser desenvolvidos cursos curtos, com a capacidade de serem creditados, que contribuirão para o reskilling e upskilling dos profissionais. É disso exemplo o projeto UpSkills – Digital Skills and Jobs, criado em parceria com o IEFP e a APDC, para requalificar profissionais para as áreas das tecnologias.

Metodologias pedagógicas ativas, assentes em simulações, problem/project based learning, project based research, sempre com a aposta na formação pedagógica dos docentes, são essenciais para promover o sucesso académico dos estudantes, e uma prioridade do ensino politécnico.

O CCISP está ainda fortemente empenhado na consagração da alteração legal que possibilite a outorga do grau de Doutor pelos Politécnicos, assente na centralidade e excelência da investigação.

Também a alteração da designação para Universidades Politécnicas é um dos objetivos para os próximos dois anos. Com esta denominação pretende-se um aprofundamento da missão dos politécnicos e, cima de tudo, o reforço do seu papel de motor de inovação e da capacidade de internacionalização e atração de estudantes estrangeiros. Nos últimos anos, o aumento constante no número de estudantes internacionais tem contribuído de forma vigorosa para a dinamização dos territórios, especialmente nos de menor densidade.

A maioria das regiões do país são hoje mais dinâmicas, mais qualificadas, com maior capacidade de atração de investimento, porque existem politécnicos nos seus territórios. O estudo sobre o impacto económico dos politécnicos é claro na sua dimensão, que chega a representar 10% do PIB local e que gera uma reprodutividade superior a 3, por cada euro investido pelo Estado.

Mas este impacto não é apenas económico, é também, cada vez mais, cultural e social. O CCISP pretende posicionar o ensino politécnico na linha da frente e como um parceiro central na construção de um Portugal moderno, assente no conhecimento e na melhoria do bem-estar da população.

Pedro Dominguinhos, que assume a liderança do CCISP até 2022, é Doutor em Gestão pelo Instituto Superior de Economia e Gestão (UL), Mestre em Economia Internacional e Licenciado em Economia. É Professor Coordenador na Escola Superior de Ciências Empresariais do Instituto Politécnico de Setúbal, na área de Gestão, onde é docente desde 1995. É Presidente do Instituto Politécnico de Setúbal desde abril de 2014, e Presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos desde maio de 2018. É membro do Conselho Coordenador do Ensino Superior e do Grupo de Modernização e Valorização do Ensino Politécnico, nomeado pelo Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, desde 2016. É autor ou coautor de mais de 40 publicações e de artigos em conferências internacionais na área da Internacionalização, born-globals e empreendedorismo.